Estudo Bíblico Online - a Palavra de Deus é viva!

Mateus, autor do primeiro Evangelho

A tradição atribuiu a Mateus a redação do primeiro Evangelho (não em sentido cronológico). Tenha-se em vista o mais antigo testemunho, que é o de Papias.

Por Dimar Luiz dia em Artigos visitas: 860

Mateus, autor do primeiro Evangelho

O autor

Mateus, também chamado de Levi, era publicano ou cobrador de impostos. Foi chamado por Jesus e logo deixou tudo para segui-lo (Cf. 9,9-13; Lc 5,27-32; Mc 2,14-17). Os evangelhos não dizem mais nada sobre Mateus.

A tradição atribuiu a Mateus a redação do primeiro Evangelho (de acordo com a organização de nossas Bíblias, não em sentido cronológico). Tenha-se em vista o mais antigo testemunho, que é o de Papias, bispo da Frígia, datado de 130 d.C aproximadamente: “Mateus, por sua parte, pôs em ordem os logia (dizeres) na língua hebraica, e cada um depois os traduziu (ou interpretou) como pôde” (Eusébio, História da Igreja III, 39,16).

Neste texto, Papias designa o primeiro Evangelho como dizeres (logia), visto que realmente nesse livro chamam a atenção os discursos de Jesus (Cinco Grandes Discursos), dispostos de maneira ordenada ou sistemática. Este evangelho escrito em língua hebraica, ou melhor, aramaica (já que o hebraico caíra em desuso no século VI a.C), foi logo traduzido para o grego por diversos pregadores, uma vez que o hebraico era usual apenas no território de israel. Vê-se, pois, que Mateus escreveu na própria terra de Jesus, tendo em vista leitores cristãos convertidos do judaísmo.

Irineu (+1200 aproximadamente) também testemunha: “Mateus compôs o Evangelho para os hebreus na sua língua, enquanto Pedro e Paulo em Roma pregavam o Evangelho e fundavam a Igreja (Adv. Haereses III 1,1).

Poderíamos citar outras testemunhas, mas vamos procurar no evangelho indícios da personalidade de seu autor.

O que diz o texto?

Observemos o catálogo dos apóstolos como se acha em Mc 3,16-19; Lc 6,14-16 e Mt 10,2-4. Verificamos que os nomes se dispõem em pares; ora no quarto par, Mateus vem antes de Tomé, conforme Marcos e Lucas; mas vem depois de Tomé, segundo Mateus. Note-se ainda que somente em Mateus o apóstolo é mencionado com o aposto “cobrador de impostos” ou “publicano”, o que era pouco honroso para um judeu. Quem terá tratado Mateus dessa maneira senão o próprio Mateus?

Em Mateus 22,19, ao narrar a disputa de Jesus com os fariseus a propósito do tributo a ser pago a César, Mateus usa termos técnicos em grego, que Marcos e Lucas não utilizam. Mateus é ainda o único a narrar o episódio do imposto do templo, em Mateus 17,24-27, o que demonstra o interesse do autor pelos tributos.

Em conclusão, sendo, no grupo dos apóstolos, um homem habituado à arte de escrever, calcular e dispor dados, compreende-se que Mateus tenha se dedicado a pôr por escrito um resumo dos ensinamentos de Jesus, o Mestre.

Compartilhe esse post:
O evangelho de Lucas

O evangelho de Lucas

Lucas é um sírio de Antioquia, sírio pela raça, médico de profissão. Tornou-se discípulo dos apóstolos e mais...

LEIA MAIS