Estudo Bíblico Online - a Palavra de Deus é viva!

O sofrimento do desterro: Cisma

Apesar do grande amor e fidelidade de Deus, seu povo seguiu a outros deuses e foi infiel ao Deus único. Presenciaremos agora a mais dolorosa experiência de Israel: a divisão política e religiosa e a queda do povo de Deus.

Por Dimar Luiz dia em Artigos visitas: 732

O sofrimento do desterro: Cisma

“Pois qual é a grande nação que tem deuses tão próximos como o Senhor, nosso Deus, sempre que o invocamos?” (Dt 4,7).

Apesar do grande amor e fidelidade de Deus, seu povo seguiu a outros deuses e foi infiel ao Deus único. Presenciaremos agora a mais dolorosa experiência de Israel: a divisão política e religiosa e a queda do povo de Deus.

Cisma

Apesar do desenvolvimento, Salomão esqueceu o povo. O povo começou a ser explorado com altos impostos. A cada mês uma das tribos tinha que manter todas as despesas do rei. Isso causou muita insatisfação e levou a uma reação de recusa ao reinado de Salomão sempre mais crescente entre as tribos do Norte, pois eram os que mais sofriam com os impostos. O país havia sido dividido em prefeituras (1Rs 4,7), a divisão dos gêneros primários foi desviada para outros fins e a autoridade política dos anciãos e da assembléia foi quebrada (1Rs 12,6-12).

A centralização do culto provocou o deslocamento do pólo da educação civil e da vida religiosa. Grande parte dessas funções que eram exercidas pelos levitas itinerantes e chefes de família passou para os sacerdotes e sábios do templo e da corte de Jerusalém.

Esses fatores políticos, econômicos e religiosos geraram a revolta das tribos do norte sob a liderança de Jeroboão. Encorajado pelo profeta Aías de Silo ele preparou a separação as tribos, mas foi descoberto e perseguido. Teve de fugir para o Egito onde ficou exilado até a morte de Salomão (1Rs 11,26-40). Logo após a morte de Salomão o reino se dividiu por causa da imprudência de seu filho Roboão que não ouviu os anciãos nem respeitou a assembléia (1Rs 12).

a) Cisma Político: Israel e Judá (2Cr 10-12)

Após a morte de Salomão (931) o reino se dividiu entre:

- Israel: Jeroboão com dez tribos formaram o reino do norte tendo Samaria como capital.

- Judá: Roboão com as duas tribos restantes, Judá e Benjamim, formaram o reino do sul, tendo Jerusalém como capital.

O povo se dividiu e precipitou-se no desmoronamento por causa de sua infidelidade à aliança.

b) Cisma Religioso: Santuários Rivais (1Rs 12,26-33)

À divisão política seguiu-se a religiosa. A razão é que Israel se afastou de Deus, e afastar-se de Deus é afastar-se dos irmãos e se desintegrar no interior.

Israel ergueu os santuários de Dan e Betel para que os piedosos não subam a Jerusalém. Mais tarde, os montes Ebal e Garizim de Samaria irão rivalizar com o monte Sião de Jerusalém, o digno lugar da adoração. As coisas ficam piores ainda. O cisma religioso se degrada numa infidelidade crescente ao único Deus. Reis ímpios se sucederão no trono, arrastando o povo sempre mais para longe de Deus. O povo vai, aos poucos, perdendo sua identidade e sua razão de ser.

Compartilhe esse post: